terça-feira, 22 de dezembro de 2009

momento mãe chorosa...

Hoje é na verdade, meu primeiro dia de recesso. Estou tão cansada...
Acredito realmente que minhas companheiras, que estão em sala de aula, com tantas emoções e responsabilidades tenham em dobro este cansaço, visto que neste ano estive na gestão.
Gestão é responsabilidade, compromisso, ética, transparência, e também emoção, medo, ansiedade...
Mas, to muito cansada fisicamente, embora  muito feliz de ter visto que Deus abençoou minha equipe, transformando a Creche num lugar ainda mais gostoso pra nossas crianças.

Mas nem só de escola vivemos, também há o lado mulher, o lado MÃE, o lado dona de casa (ai meu Deus!), a saúde, os exames médicos em tempo correto, o lado FAMÍLIA... E , aqueles sonhos que trancamos, trancafiamos a 10 chaves pra não remoer.

Antes, estaria escrevendo em um caderno, e guardando em uma caixa pra esconder. Descobri com o tempo, que somos todos tão passíveis de erros e momentos difíceis como qualquer outro ser. Que como gente, metemos os pés pelas mãos, escolhemos precocemente nossos eternos (enquanto dure) maridos, e de alguma forma ou de outra, fazemos uma lambança, que só cabe a nós mesmos dar jeito.

O motivo desta postagem, desabafo, é que me arrazou ter hoje brigado com meu filho.
Sabe, quando tem que se tomar uma posição, falar mais alto, e ser firme?
Ele me respondeu como não devia, nos altos de seus doze lindos aborre/adolescentes anos e eu chamei severamente sua atenção.
Coloquei de castigo no quarto.
Larguei a minha faxina do primeiro dia de recesso, com todos os papéis e roupas espalhados pela casa inteira e me deitei no sofá
. Respirei, respirei.
Voltei ao quarto. Ele estava deitado, coberto, pediu desculpas.
Mantive a seriedade.
Tem de se impor limites pelo bem, por amor, pra vida depois lá na frente não ser pior.

Voltei aos meus papéis espalhados pela sala, e as lágrimas desceram, o coração apertado.
Separei contas, das mensagens da escola, dos estudos de internet, dos exercícios de escola do vinicius, da lista de compras...
Não melhorei.
Voltei ao quarto. Ele estava dormindo, todo coberto.
Liguei o ventilador.
peguei os botões do ar (por que escondo, se não ele liga o dia inteiro!rs) e liguei o ar.

Não consegui melhorar.
As vezes essa solidão de mãe solteira vem a tona. Solidão por que ainda assim é melhor, mas as vezes queria dividir as broncas, os estudos... Pra não ter eu que ser sempre a generala, mas escolhi assim, e ainda com toda sequela, tenho meus motivos pra entender que foi a escolha consciente.

Liguei pra Parmê, pedi escalopinho ao molho de madeira, com arroz a piomentese, que é a comida preferida dele. Pra quando ele acordar...

Voltei a papelada. Não melhorei.
Tem momentos que é assim, detona a emoção e momentaneamente vem as questões: se as ações estão corretas, as repreensões... vem o motivo da falta de tempo misturada com sensação de negligência... Não tem livrinho de receita. Livros ajudam sim, orientam, mas quando a emoção detona, o coração literalmente arde...

Sinto-me um pouco melhor agora.
Voltarei a faxina, pois dessa não tem como fugir ou, Mel, minha pischer vai terminar o trabalho, rasgando e comendo tudo!rs

É assim mesmo, nem só de boas aventuras sobrevivem os blogs.

Estou aprendendo...

2 comentários:

ELIANE PERA disse...

oi amiga, passei para desejar um feliz natal e um próspero ano novo repleto de realizações. feliz 2010 para vc e sua família.

Ana Patricia disse...

Amiga você continua especial como sempre!!!Quem sabe um dia, voltaremos a compartilhar de nossas confidências...Pra Deus nada é impossível!!!Adoro você.