terça-feira, 29 de março de 2011

na madrugada

Estou acordada às 4 da madruga. 
Me aborreci, fiquei nervosa... E acordei 1h como se fosse 10h... Motivo? O mesmo: ex marido.


Como ele não pagou pensão, coloquei na justiça. Tá certo que o dia que fui à defensoria, foi um dia mega estressante e que eu achava que ele tinha de arcar com suas responsabilidades.
Na verdade, ele tem mesmo, independente do meu estresse...


O fato é que coloquei  na justiça em outubro do ano passado, e até ontem, nenhuma notícia...
Dizem que pensão é a unica coisa que funciona no Brasil, nossa se eu dependesse disso pra viver, aff! tinha morrido!


Abre parênteses... 
não gosto de usar meu blog para falar dessas coisas...
fecha parênteses.


Minha chateação: Uma pessoa ligou ontem as 20h (sim, às 20h da minha bela noite) e disse que era secretário de minha defensora.
Quem é a defensora?


A última vez que precisei da defensora, por acaso na ação de pensão, ela apareceu com uma pilha de processos após a audiência...


Voltando...  O secretário disse que, segundo o ex 45% do salário mínimo é muito , visto que ele diz ser muito doente, então ele quer pagar 20% do salário mínimo...


Fiz uma pausa pra olhar a escuridão pela janela, cheirinho de planta... Elas dançam com o vento...


Quando desliguei o telefone, chorei muito, senti o coração bater forte. Casamento é mesmo pra sempre, mesmo que vc não tenha mais nada com a pessoa...
Porque essas coisas mexem tanto?


 A única coisa que ouço agora é o barulho do ventilador. A noite tem um silêncio atraente.


Entrei no twitter, no gmail, escrevi e-mail, sinto fome.
Não estou com sono.


Sou da paz, odeio e fujo dos problemas. Faço tudo para não brigar... E tem gente que sabendo disso, tira proveito.


Já faz algum tempo que deixei de ser conflitada, ou ter acessos de auto piedade. Não, não, não. nada disso! Sou capitã da minha vida, e autora da minha história.
Em algumas situações, como esta, sinto que fico fragilizada porque envolve as emoções do meu filho.
Ele fica tentando ouvir as conversas, não sabe como defender o pai, mas o ama. Pede para eu não deixar ele ser preso... O pai liga e faz todo tipo de chantagem emocional.


pausa para desabafo- tipo grito ... (eu fui casada por 13 anos. COMO? COMO? COMO?) "Despausa"


Então é isso.
Vento na janela. Barulho de ventilador.Televisão ligada no cartoon sem som. Netbook na mesa. Eu sentada. Pensamentos que se acalmam à medida que escrevo.
Paz que retorna aos poucos.


Não queria usar meu blog para isso.
Deixo no rascunho?







terça-feira, 8 de março de 2011

Dia Internacional da Mulher

Minha homenagem:

Dia 08 de março comemoramos o Dia Internacional da Mulher. É gostoso de ler, de ouvir e escrever, mas sabemos que temos este dia porque lutas foram travadas e muito sangue derramado.

Tantas gerações de mulheres que sofreram na pele, no corpo, na alma e no coração o preconceito, o machismo, e a crueldade..

Quanto silêncio e dor suportados...  No entanto, as mulheres tem o dom natural da força, do equilíbrio,  da garra e da superação e em cada canto desta terra, conquistas foram alcançadas pela sabedoria, inteligência, persitência, fé e força.

Mulheres se destacam em todo o mundo em todas as profissões, sem perder a beleza e a doçura que nos é dada desde que somos geradas. 

No Brasil, as mulheres antes desvalorizadas e humilhadas por uma sociedade machista, estão hoje em lugares altos, de respeito,  conquistados por excelência, estudo e trabalho.

Não deixamos de ser mãe, esposa e de passarmos batom. Não perdemos a beleza, nem a vaidade, mas ganhamos RECONHECIMENTO por fazermos merecer!

Trabalhamos em casa, fazemos comida e sobremesa.
Cuidamos dos filhos, levamos ao médico, lemos histórias para que durmam.
Olhamos o material e as agendas da escola.
Cantamos para nossas crianças.
Vamos às reuniões de pais.
Nos emocionamos com um bebê  que dorme aconchegado ao colo de sua mãe...
Amamos a maternidade.

Vamos ao salão para fazermos o cabelo e as unhas. Caprichamos!
Usamos salto alto.
Realizamos palestras, dirigimos empresas, coordenamos projetos, brigamos em audiências. 
Vencemos.

Somos médicas, motoristas, advogadas, prefeitas, professoras, blogueiras, cientistas, pesquisadoras, arquitetas, engenheiras, economistas, gestoras, biólogas, empresárias... 
Todos os brasileiros tem uma PRESIDENTA! Que orgulho!

Assinamos nosso próprio cheque.
Não aceitamos mais que  falem  em tom hostil conosco , nem admitimos humilhação. 
Temos a Lei Maria da Penha: Respeito é bom,  é LEI e eu gosto!
Temos o divórcio.
Temos escolha!

Gosto desse sabor, dessa comemoração, dessa luta que travamos a cada dia pelo respeito que todos devem a todos. 

Vontade que não cessa, luta que não pára em busca de um mundo melhor e mais justo para todos.

quinta-feira, 3 de março de 2011

Jack Junior - Amor venceu cinomose


Vou contar pra vocês uma história real e importante pra minha vida...

Dia 26 de outubro de 2010 fui até a SUIPA, preenchi os formulários e fiquei ansiosa para conhecer meu mais novo amigo. 

A responsável trouxe um filhotinho, mas algo me moveu e pedi para conhecer o canil onde os outros ficavam. Parecia filme de cachorro que fala... Enquanto eu andava pelo corredor, entre as grades que prendiam os cachorros que foram abandonados escutava muitos latidos, e os olhinhos  pediam para serem levados embora dali, mas meus olhos pararam em um cachorro branco, latido forte, e um rabo que se movia como um ventilador.

_Quero esse!

_Esse??

Sim, era o meu amigo, aquele carinha simpático e todo branquelo!!!

Me apaixonei na hora, amor a primeira vista e para sempre.

Levei Jack para casa e todos amaram esse cachorrinho, que nem era filhote, mas cheio de uma alegria contagiante.

Sandy, minha labradora, também se apaixonou e eram mordidinhas e latidos (dele) o dia todo.

Ficamos algumas semanas só brincando, até que ele começou a tossir. Levei ele ao veterinário que deu um antibiótico. Não melhorou, ele começou a ficar quente, muito quente... Sua cabeça parecia latejar, pulsava... Os olhos piscavam muito e ficaram remelentos. Do nariz começou a sair  secreção. 

Levei para a SUIPA, e chorei copiosamente quando a veterinária afirmou que era CINOMOSE, e que ele tinha poucas chances de vida.
Jack recebendo soro na SUIPA

Não me conformei, ele era um cão de sorte, amigo, feliz, não merecia morrer com uma doença dessa, tão cruel, que se não mata, deixa com sequelas graves.

Eu me decidi a cuidar dele e fazer o impossível para que ele superasse a doença.

Encontrei todo o tipo de gente. Pessoas que me davam força, outras que diziam que nada adiantaria, que eu deveria sacrificá-lo.Mas eu estava decidida, e levei Jack durante 10 dias intercalados à SUIPA para que ficasse no soro, e tomasse várias injeções. Também dava a ele os medicamentos na hora certinha, e toda vez que eu dava, orava para que Jesus o curasse.


Dei muito amor a ele, que não era mais o mesmo cachorrinho alegre. Só ficava deitado e triste... Eu não desisti, fazia carinho nele até ele dormir, e ele ficava no meu quarto do meu lado. Acordava muitas e muitas vezes durante a madrugada para levantá-lo quando a tosse parecia matá-lo. Limpava seu nariz com  soro fisiológico,  e o abraçava depois que o corpinho sofria com as convulsões. A oração a Deus não saía do meu coração, nem da minha boca.

As veterinárias ficavam satisfeitas com o resultado, pois ele estava sobrevivendo e não tinha parado de comer. Eu comprava todas as latinhas de ração, filézinhos de carne para cachorro, fazia arroz com carne moída e o estimulava a comer.

Depois das dez injeções e muito soro para ajudá-lo, as veterinárias falaram que a partir dali, dependi dele, de como ele reagiria à medicação. Elas também alertaram que o tique da cabeça (parecendo sempre estar afirmando algo) não desapareceria, mesmo se ele ficasse curado.

Tenho a dizer que a CINOMOSE FOI CURADA. Ele ficou doente em outubro, e agora em março, ele está mais feliz que nunca! Ele tem tique sim, mas é super leve, e ele está vivo e bem!!!


Há duas semanas, ele me deu um mega susto. Minha mãe havia viajado e a pessoa que ficou aqui em casa, deixou a porta aberta e ele saiu. Só me falaram horas depois. Entrei em pânico total! Larguei tudo, digitei o nome dele, coloquei a foto e fui procurar, bater de porta em porta. Eu estava totalmente apavorada, e mais uma vez, Deus foi bom, e me levou à uma borracharia, onde meu Jack entrou.

Ele é um cachorro de tanta sorte que a senhora que trabalha lá é namorada de um veterinário e ama cachorros.

Quando mostrei a foto do Jack ao pessoal de lá, eles me pediram calma e disseram que ele estava sob cuidados em uma veterinária. 

Esperei com muita ansiedade, até que meu branquinho chegou no colo de uma pessoa maravilhosa, chamada Nelbe, e que comprou vários remédinhos pra ele, shampoo, vitamina, frontiline...Ela me entregou meu amigo e eu o abracei... Agradeci a todos daquele estabelecimento, pois são pessoas raras... Jack é um cão sem raça definida, seu pêlo está ralo pelo estresse do que passou com a doença, e tem tique... Mas aquelas pessoas não o chutaram, não bateram nele, mas o acolheram, e cuidaram com o maior dos carinhos. É muita emoção!!!

Bem, aos que leem, eu afirmo: 

NÃO DESISTA NUNCA, VÁ ATÉ O FIM, NÃO PERCA A FÉ! INSISTA! PERSISTA! ACREDITE!!!

E, para os que tem um cachorrinho com cinemose, eu digo: cuide, leve ao veterinário, se dedique e dê doses extras de amor. 
CINOMOSE TEM CURA SIM!!!