quarta-feira, 24 de maio de 2017

A luta pela vida

Essa pode  ser uma experiência diária para muitas pessoas. Com certeza nos hospitais  nas ambulâncias  , e em tantos lugares. Foi pra mim a primeira vez . Por ser meu blogger e não ter autorização  de um tema tão recente e sensível evitarei os nomes.
A verdade é que não tô na fase mais top da vida e por isso uso meu tempo  vazio uso para pintar e plantar.
Sei lá eu tava no meu quarto, suja de terra e tinta , descabelada,  quando ouvi uma mulher gritar por socorro   Pedia pelo filho, gritava desesperadamente pelo filho.
Minha rua é deserta, sem muitos vizinhos.  Tudo que fiz foi prender o cabelo, colocar o chinelo e pegar a bolsa. Quem pede socorro, precisa de socorro.
Sou vizinha há mais de 30 anos e meu contato sempre foi sorrisos e o" Tudo bem " do cotidiano apressado  . Mas entrei na casa, subi  as escadas diante dos gritos de socorro de quem estava presente .
Um jovem bonito recém operado de apendicite e em boa recuperação começou a passar mal. O irmão em prantos massageava a seu peito, essa técnica tão útil que deveria ser ensinada nas escolas  .
O irmão chorava cansado  orava  clamava  ,,,,
liguei pra ambulância que fez seu papel. Pedi clemência, pedi que fugisse aos protocolos, que ela poderia salvar uma vida, Acho que ela me atendeu,  Mas os segundos para um coração que luta para pulsar são eternos. Pedi para  ajudar, fiz respiração boca a boca, orei com o irmão  que clamava para que o irmão não o deixasse....
A ambulância  chegou em 15 minutos e a equipe de 2 moças e um rapaz foram incansáveis.  Não pararam, tentaram tudo, tentaram até o esgotamento  , o desespero incansavel  de quem não quer se render estava no olhar deles .
Não larguei a mão do meu vizinho quase desconhecido. Os pais não tinham condição de permanecer no quarto . Tudo que eu lembrava era que todos somos pó,  todos barro, todos destinados de alguma forma ao fim, e um carinho e um afago são significativos e que a esperança ela precisa existir. A fé não pode morrer.
Nunca imaginei tanto empenho . A Troca necessária da massagem feita por mais de uma hora.... A luta pela vida de um jovem promissor surpreendendo a todos com o inesperado destino.
Segurei sua  mão,  acariciei os cabelos daquele homem que no máximo disse bom dia algumas vezes.

Foi doloroso olhar pra minhas outras vizinhas queridas e tão carinhosas quando as socorristas olharam o relógio e desligaram tudo, começaram a juntar seu equipamento que já se espalhava pela sala. Uma entrega digna de heroísmo apesar do coração lindo não reagir.

Continuei  no quarto eu e meu vizinho adolescente... prendemos as mãos e os pés. ... nem sabia que era assim...
Coloquei um travesseiro em sua cabeça e o cobri com seu lençol.  Fiquei eu e meu vizinho ali, paradinhos.  Ele um adolescente.
A dor do pai  daquele jovem nao posso descrever, não se descreve. Não se mede, a dor do irmão era semelhante a ter tirado um de seus membros. Parecia ter perdido a própria vida.
Desci, abracei  todos . Não há palavras a serem ditas.
A vida amados e assim.

Que os Abraços não se adiem.Que o trabalho não seja priorizado.
Tem um coração que insiste em bater para que haja vida, haja cor, haja reação.
Não posso sequer tentar imaginar a dor, porque de longe já aterroriza.
Que fique lições . De quem tem muita gente boa (Socorristas) ,

Que a vida é um desacerto Inesperado.
E que todo amor do mundo não reanima o pulso que já não pulsa.

Vizinhos caso leiam, eu tô aqui.... Fica meu respeito, minha dor. Agora estamos mais perto, agora com mais Abraços.
Seu ente mais amado está nos braços de nosso Pai,  mas sei que a saudade é um buraco sem fundo.
Deus console é minha oração.
E agora, também amo vocês.
Acreditemos nos planos desconhecidos do Senhor .
Vocês  são agora  mais que vizinhos. São irmãos.