domingo, 26 de maio de 2013

Pequenos Prazeres Imensos





Faço dança às segundas e quartas. Me orgulho em dizer que já pratico há 2 anos, pois apesar de parecer simples para uns, para mim foi uma superação.


Desde criança amo dançar, não sei se há quem não goste. É um movimento natural, um instinto , tanto que bebês sacodem perninhas e mãozinhas ao ouvir uma música. No entanto, junto com meu desejo pelo movimento havia também o medo da exposição, do erro, de não seguir os passos. 


Quantas vezes nos travamos, e evitamos dias maravilhosos por medo? Se pensarmos com carinho , perceberemos que não há  porque temer, visto que a própria vida é um risco iminente. Onde está a segurança quando pegamos um ônibus, ou quando entramos em um edifício? Não há pausa para os riscos, nem no momento em que nosso corpo repousa. Então, qual  a razão do medo?







A vida é breve, misteriosa, e preciosa. Não podemos negar aos dias que temos, e não sabemos quantos eles são, as alegrias. Será hoje? Amanhã? Daqui a trinta anos? Nem a ciência pode nos dizer. Deste modo, a vida é o próprio brinde. Há motivos para que recusemos os sorrisos que nascem de atos simples e que estão ao alcance do toque de nossas mãos?



Na verdade o que costuma deixar nossa alma leve está dentro da nossa possibilidade de realizar. O que faz você feliz? O que faz você sorrir com o coração? Tente lembrar daquele tempo em que a vida era simples, bela e você gargalhava. Quem eram essas pessoas que te faziam tão bem? 



Estamos no timão do navio. O Controle é nosso, cada um de nós é o capitão de sua própria embarcação. Nós o levamos para onde queremos. Nosso dever é rever as rotas, entender se o caminho que se faz hoje é o que vale a pena. Não queremos ser um Titanic, nem ver nossos sonhos afogados.





Ainda há tempo.

Um dia resolvi ir a aula de dança, mesmo sem saber dançar, pronta pra errar, pronta para os outros rirem de mim, pronta pra me movimentar, sentir meu corpo seguir as ondas deliciosas da música, pronta pra ter coragem.


Ninguém riu de mim. e sim errei muitos passos. E daí?  Errar é só um termo. O importante é que a preciosidade da vida não passe em prol dos olhos alheios. Há preciso ter antes de tudo, um compromisso consigo mesmo, de fidelidade a sua felicidade. Ou então, para que viveríamos?





Como dançar me faz feliz !!!!


sábado, 18 de maio de 2013

Comunidade Pacificada - A Esperança de Novas Gerações





Soldado com a mascote da creche - Cristal 


Recordo de quando era ainda bem menina, gostava de prestar continência para a polícia. Tinha um  respeito inocente, verdadeiro, belo por aqueles que guardavam a cidade, nossa casa e protegia nossa família dos bandidos. Essa é a lembrança que tenho da polícia: Os homens da lei ,do bem.


Com o passar do tempo, fui descobrindo a corrupção pelos jornais, ou vivenciando as decepções do dia-a-dia. Contudo, sempre soube que onde há o joio, existe o trigo, e excelentes policiais todos os dias arriscam suas vidas em favor do cidadão.  


Quando entrei para o quadro de professores do Município do Rio em 2001, trabalhei na Comunidade de Nova Brasília e da Fazendinha no Complexo do Alemão. Naquela época o poder do tráfico era forte, e as crianças acreditavam que os heróis eram os "donos do morro". Eles era "donos" das melhores motos, tinhas as mulheres que desejavam, os tênis da  moda e mandavam em tudo e em todos. O estilo de andar, o jeito de falar eram imitados pelas crianças. O caminhar malandro, a cara amarrada, o olhar mau... exemplos dos seus heróis. 


Lembro que tudo que tocavam virava arma. Podia ser lápis, caderno, cadeira... apontavam o objeto para algum lugar e simulavam atirar, a boca reproduzindo o som oco dos tiros. 


Quando a polícia chegava com suas sirenes altas, os meninos corriam pra janela, subiam nas cadeiras para poderem ver, e xingar: "Vermes!, Os vermes tão chegando!" Eles defendiam os bandidos! Isso me chocou por um tempo. O pior foi isso, foi só por um tempo, pois depois de alguns anos, tiros, armas, já não me assustavam mais. Apenas a tristeza, e o profundo vazio, de ver crianças crescendo em um meio violento, com valores invertidos.


Atualmente trabalho em uma creche no Caju. Já vivenciamos momentos muito difíceis por conta da violência. Finalmente neste ano , a comunidade foi pacificada, trazendo alívio aos moradores. No começo da  pacificação, pais e crianças  estranharam um pouco a presença policial. Antes,só se via polícia para confronto. Atiravam, matavam  e depois a comunidade continuava sozinha com os seus conflitos e violência. Agora, a UPP é constante. 



Diretora Adjunta Lilian (vestido) e Diretora  Rute Albanita

A primeira vez que os soldados entraram na creche , fardados, as crianças, mesmo tão pequeninas temeram. Não se manifestaram muito. Algumas sorriram de longe, outras se esconderam. Mas agora, elas até  abraçam os policiais. É emocionante ver a autoridade em seu devido lugar, podendo entrar e sair da escola, sendo abraçada e querida pelos nossos anjinhos e respeitada pelos moradores.


Já tem criança dizendo que quer ser polícia quando crescer!!!
Ontem, os policiais brincaram com nossa mascote, a coelhinha Cristal e eles a levaram para conhecer outras escolas e creches da região.


Essa relação de paz, de diálogo e carinho tem um significado mais forte do que eu possa conseguir descrever em palavras. É mais que o retorno da esperança, é a sua ressuscitação. Se algum dia alguém dissesse para qualquer um de nós daquela comunidade que cenas como a dessas imagens aconteceria, nós iríamos gargalhar! 






É bom poder voltar a acreditar. É belo assistir pais apertando as mãos da autoridade do bem.
É bom poder voltar a ter esperança em gerações mais felizes.





terça-feira, 14 de maio de 2013

Mulher Espanca Filhotinho de Poodle - Crueldade!



Estava assistindo tv, quando me vi em frente a ela, com as mãos na boca, aterrorizada , diante de mais uma crueldade declarada. Em tempos em que o carinho está cada vez mais distante, a solidariedade é como um conto, somos obrigados a assistir cenas reais de terror nos quais indefesas crianças e animais sofrem nas mãos de monstros vestidos de gente.

O vídeo que me refiro é da mãe que ensina seu filho a bater em todo animal que ver. Que deve chutar, maltratar, e demonstra em aulas de terror. Faltam as palavras e sobram as lágrimas ao vermos como estão sendo criados nossos meninos. Que futuro teremos, Meu Deus? Quanta loucura!!!!

Vídeo sem cortes



video


Sinceramente acredito que as pessoas precisam  mais de  Deus em suas vidas.



quarta-feira, 8 de maio de 2013

Quem é você, de verdade?


Depois de algum tempo na peregrinação desta vida, pude entender o quão errados estamos acerca de nós mesmos quando pensamos em verdades absolutas. Eu não sou, eu estou. Não posso negar, quantas de mim já surgiram, e como sempre me surpreendo ao olhar para trás. É como se visse de fora, uma outra mulher, muito diferente da que sou. Minhas verdades de hoje, já não são as de ontem, embora eu as defendesse com a própria vida.


Somos criados e educados para sermos um tipo de pessoa, sofremos os medos e anseios daqueles que por nos querer bem, e achar que o certo são seus pensamentos, nos catequizam ou minam a naturalidade de nossas almas. Somos expostos desde pequenos à times, religiões, conceitos, preconceitos que nos determinam, ainda que as famílias acreditam estar tendo as melhores intenções. E assim crescemos nos forjando, mascarando, matando a beleza da criatividade e do livre arbítrio que fingem nos proporcionar.


Não são poucas as histórias com final infeliz que têm em seu enredo uma teia de dominação das famílias, maridos, esposas, chefes... Histórias que terminam em suicídio ou homicídio, se não literal, da própria alma. Como se as vendesse em troca de um mundo cômodo e sombrio, mas que no entanto, não levantasse poeira, afinal mudar traz tornados, sacrifícios. Pensam que é melhor , a escuridão quieta, que a luz após o temporal. Um temporal pode devastar, é verdade...


Pessoas que sorriem , e andam como se estivessem bem, mas que levam em seus ombros uma tonelada de tristeza. Psicologicamente arruinados, não conseguem ver a luz no fim do túnel. Não conseguem sair. A liberdade é como um conto de fadas, uma música cantada em um idioma que não se conhece.


Você é mesmo você, fruto real de suas escolhas, de seus desejos?  Você está onde quer, porque desejou este lugar, ciente de seus ônus e bônus? Há paz em sua alma, ao se deitar e levantar? Não há mal em errar, desde que tenham sido erros provenientes da escolha que realmente fizemos. Porque deveríamos pagar as consequencias em nossa própria pele, por um erro que cometemos por ordem de outros? Quando daqui partirmos, não estaremos  a sós diante do mistério da eternidade? Poderemos pegar pela mão  àqueles que convivivemos, e implorar que venham conosco? Será que nesta hora perceberemos o quanto não aproveitamos do lívre arbítrio a nós concedido?


De fato, as pessoas que nos olham , criticam, ou aconselham não têm a menor ideia de quem realmente somos. Nossos segredos, ideais, vontades, loucuras,sonhos e  fobias... Sorrimos, conversamos, mas por dentro,  somos realmente quem  as pessoas acham que somos?
E você, se conhece? Quando se olha no espelho, tem certeza de quem verdadeiramente é? Seus pés pisam onde você desejou, ou não?


Durante anos menti pra mim, estando onde não queria estar, visitando quem não queria, fazendo as coisas para suprir a vontade alheia, para agradar. Me escondi de mim de tal forma, que já não me achava mais. Na época, acreditava que este sacrifício era normal. . Conflitos existem sim, e são eles que nos fazem crescer.
É pensando que mudamos, fazemos novas escolhas, reformulamos, desconstruímos, reconstruímos, derrubamos e realizamos; Vale a pena escarafunchar a alma para ver como ela anda e fazer uma faxina profunda.

A vida é um presente, pra gente ser feliz . Pelo menos temos que procurar. Mas há que se haver sonho, é preciso que aconteça o desejo, a busca, a direção... Ir pelo caminho que o outro quer que você vá, só faz com que a escuridão aumente. Pra quê? Porque deixar-se conduzir assim? Quem te quer bem, esta do seu lado, te ama como você é, com suas imperfeições, limites e belezas peculiares, talentos preciosos...

Somos tão especiais, cada um com sua digital e sua beleza própria. Cada um de nós, com um potencial imenso pra ser feliz!