sexta-feira, 16 de outubro de 2009

Querido aluno

Semana passada, estava na Creche quando a merendeira me chamou com urgência. Pensei ter acontecido algum problema na entrega dos gêneros alimentícios, visto que os entregadores estavam verificando com ela a merenda.
_ Esse rapaz diz que te conhece, que foi teu aluno.
Quando olhei estava diante de mim um belo rapaz, forte, sorrindo.
_ Oi professora.
Confesso que fiquei surpresa e que uma alegria recompensadora me invandiu.
Este rapaz foi meu aluno no meu primeiro ano do município, da Escola Municipal Olavo Josivo de Sales, em Inhaúma, de crianças oriundas das comunidades do Complexo do Alemão.
Na hora tudo veio a tona: Foi uma turma de quarta-série com mais de 40 crianças. Foi a turma mais difícil que peguei, pois eles tinham dificuldades reais na vida, na escola...No entanto, eu os defendia até debaixo d'água!
Relembrei passagens, as vezes que entrava no meio das brigas dos garotos. Por mais estranho que possa parecer, foi um tempo bom ,de aprendizagem pra mim!

Perguntei pra ele dos outros colegas, se estavam bem. Ouvi boas histórias e outras nem tão boas...
- Todos lembram de você, professora - Foi o que ele disse.

Eu tive orgulho de ver aquele menino grande, trabalhando. Ele não havia entrada para caminhos ruíns, como tantos poderiam achar que era o previsto e inevitável.

Nesses momentos, olhando para o passado, de minha  voz rouca de tanta falar em sala de aula, de correria para dar aula na Affonso Várzea de manhã, na Josino a tarde, aula particular a noite em casa... Apesar, tudo valeu a pena. Valeu ter contribuído para marcar vidas de forma positiva. De ter ensinado (que responsabilidade!) e principalmente de os ter amado, e deles terem consciência do meu amor.

Nosso abraço foi inevitável.
Quem passou pela cozinha e viu a diretora abraçando tão comovidamente aquele rapaz não entendeu direito. Mas nós dois sabíamos que em um dado momento, nossas vidas haviam se cruzado, e que por isto a história havia sido feita. Boa história, graças a Deus.


2 comentários:

Ariano, é FOGO disse...

Isso mostra como você marcou a vida das pessoas que passarm por você!!!
Te amo minha professora!!!

Amanda disse...

fiquei emocionada! Quando decidi fazer pedagogia sabia q não seria fácil! mas quando li o seu texto me identifiquei, me emocionei e vi que ser professora já está em mim... não tenho p onde correr! É um vício! Continue escrevendo textos emocionantes e eu vou continuar aparecendo por aqui! Amo o que vc escreve... vc já sabe disso! Saudades... Amanda