terça-feira, 3 de novembro de 2009

Reunião de hoje- renovadora

No curso de diretoras , tivemos hoje a tarefa de levar livros comprados na última Bienal.
 Nós falamos sobre os que levamos, expomos, contamos, e planejamos em grupos uma aula para as agentes auxiliares de Creche. Até aí, você pode achar que não há nada. Mas houve...

Houve emoção, lágrimas, aprendizagem, renovação.

Contamos histórias de livrinhos ilustrados que dizia a importância do beijo, do abraço, do amor.
Espantamos o medo com o livro "vai embora grande monstro verde", lemos os direitos das crianças e relembramos dos pequenos que não tem acesso a moradia, a família, a escola.

Nós demos as mãos. Literalmente.

Somos diretoras de Creche, trabalhando todas dentro das comunidades, ouvindo tiros e ensinando amor.
E quando a gente se encontra, não falamos de abandonar o barco, nós desejamos melhorar, nos encantamos com a magia das histórias que contamos aos pequenos, nos envolvemos com a equipe, e nos orgulhamos das conquistas.

É por isso que não me canso de dizer que TEM JEITO. TEM JEITO SIM! Tem solução, por que eu sinto vontade de fazer e ser mudança, tem jeito por que vejo lágrimas nos olhos de minhas companheiras quando abrem um livro infantil e toda sua expressão indica o quanto desejam contribuir para mudar o mundo.

Precisamos de valor e investimento, pois nossa alma esta transbordante de vontade de melhorar nosso Rio.
Sou orgulhosa desse grupo.

Maria lúcia é nossa maestra. Grande inspiradora, lutadora. Senta no chão pra ouvir história que contamos, interrompe nossa fala e corrige nossas inexperiências e me dá uma emoção forte ver gente assim, comprometida e que não perde a beleza da essência de educar.

......

Diante de tanta beleza da paixão do educar, estão nossas limitações, lugares que não alcançamos, recursos limitados.
Eu quero mais pra minha cidade, quero poder fazer mais, meu ser se move pela minha incapacidade de agir, minha limitação.
Quero fazer mais.
Todos, de mãos dadas, como hoje fizemos na reunião, precisamos fazer mais.
são nossas crianças.

Meu filho, tem 12 anos, fez dia 30/10. Ele já jantou, estudou, fez o dever de casa, e agora está deitado na minha cama, vendo cartoon, scooby.
E aquelas centenas de crianças de 6, 7, 8, 9, 10, 11, 12 anos... Jantaram? Fizeram dever de casa?Estão vendo desenhos deitados quentinhos em suas camas?
Devo eu acreditar que meu filho teve sorte e estes de rua, azar?
Devo me acostumar e acreditar que é assim mesmo, a vida é injusta, e fazer o quê???
Devo fingir que é um mundo que não existe?

Isso está me incomodando.
Nós somos eleitores, votamos em pessoas que dizem que vão mudar isso.
Será que não se vê que criança é PRIORIDADE?
VEM PRIMEIRO? TÁ NA FRENTE? PRIMEIRA A SER SOCORRIDA? NÃO ESTÁ NOS DIREITOS DA CRIANÇA?

Por que então, todos nós vemos todos os dias e não abrimos a boca? Estamos emudecidos de dor e terror.
DEsculpe leitor, se pareço redundante, repetitiva, cansativa.
É que está repetitivo e cansativo e dolorido TODOS OS DIAS ver mais e mais e mais crianças nas ruas, sobrevivendo pior que cachorro leproso, deitados de mãos estendidas, drogados e violentos, esmolando com suas bolinhas ao ar...

Se eu não me indignar, se você não se indignar, nada vai mudar.
E essas crianças crescerão, num mundo que não as acolheu e que portanto não o amará.
Crianças que não tiveram amor, e não poderão amar.

É urgente, mais que urgente.
Vamos nos indinar e cobrar dos nossos representantes atitudes que priorizem as nossas crianças.

Um comentário:

Ariano, é FOGO disse...

Não, Não é repetitivo, devemos sempre alertar sobre o abandono dos menores na rua, cobrar os projetos que tem meta de dar assistência as crianças em comunidades carentes e as que não tem amparo algum. Isso mesmo meu amor, continue alertando sempre!!