quinta-feira, 26 de julho de 2012

Proibido para Homens



Ao final do texto, a leitora concordará comigo que somente nós, mulheres, podemos entender essas linhas. Uma chance pra mim, antes de começar a desenhar as loucuras em letras e pontos é chamar agora o melhor terapeuta, e chorar pra ele todas as minhas lágrimas da manhã, ou da vida inteira. E o terapeuta deve ser homem, para me encher com teorias, mesmo que em contracenso, pois este texto é só para mulheres. É que se for mulher, acabará a sessão abraçada comigo, abrindo uma garrafa de vinho e pedindo perdão, que está em TPM.



Dedico o post as meninas mulheres que sentem , pelo menos as vezes, a vontade de encontrar um príncipe, mas em especial dedico a amiga Veronica Carvalho, com quem ando filosofando sobre amor e sexo, e que ontem me indicou o filme Amizade Colorida, e que na certa foi a gota dagua pra esse momento.

Homem curioso, este texto definitivamente não lhe desrespeita, mas se quer continuar lendo, sente-se, pegue um whisky, mais apropriado que uma lata de cerveja. Acomode-se. Respire.

Harmonia e equilíbrio, côncavo e convexo, yin e yang, seja o que for, cultura, religião, dramas familiares... Fome, alma, desespero...  Indefinidas as definições, poetizando ou não, desde pequena é pra isso que sempre existi, para amar e ser amada. Romântico? Piegas? Ultrapassada? Não é este o sentido da vida, afinal? Não é o que justifica o árduo trabalho diário, as músicas, as rimas, os versos, as prosas, de alguém, para alguém, sobre alguém?

Diga-me experiente terapeuta, onde começam as neuras sentimentais? Porque não somos capazes de lidar com o mais nobre e fundamental dos sentimentos, por que não sabemos aceitá-lo e doá-lo, e, se o damos, não o recebemos, e se o recebemos, não nos interessa? Por que permitimos que decidam nossa vida, que o amor  seja encarado como conto de fadas?

Fui a dois casamentos este mês, e os absorvi como se nunca tivesse estado diante do altar. A beleza do olhar e a expectativa de um futuro  belo. Ninguém espera um mar de rosas, mas esperamos enfrentar as guerras da vida de mãos dadas.

Apreciando as belas damas, noivas, reluzentes, percebi que o romance ainda ronda as noites enluaradas, e que mesmo que por pouco tempo, que pena, as pessoas se permitem .


A menina romântica se esconde debaixo de panos, veludos, e a primeira camada ainda é um véu... Essa aqui, pode parecer uma madeira, mas me olha nos olhos... ainda me pego chorando  nos filmes, e o olhar encantado me surpreende nos beijos dos pássaros, ou em mãos que se entrelaçam... os produtores sabem, romance vende.



Por que me escondi debaixo de tantos veludos?
Terapeutas, por favor, junta de terapeutas, melhor;  Sabe quantas vezes agredi minha vida, meus valores, minha paz em nome do amor? Quantas vezes gritei, chorei, e literalmente me descabelei, segurei as portas em cenas insanas para que o amor que eu escolhi , não fosse embora, apesar de todo o maltrato que sofria em palavras e atos? Porque? Não, não era amor, nem o dele, nem o meu.

Encarei minha própria verdade e resolvi seguir só, fiz promessas que não poderia cumprir, como não me apaixonar novamente, não me envolver, e não me machucar mais.

Como lutar contra a natureza divina? E esta ternura na ponta dos dedos , e a doçura das palavras entaladas na garganta, e os sonhos , a simplicidade dos momentos que se eternizam... a pipoca espalhada no sofá após um filme interrompido pelo sexo e continuado por corpos suados que ainda continuam juntos... para a janta, de novo o sexo, o café, as brigas, beijos... continuam...




A vontade de deixar de escrever e fazer deste um rascunho eterno, é tentadora... Mas continuo, dizendo que carinho no cabelo é  muito bem-vindo, e se as cartas hoje são relíquias, aceitamos felizes o torpedo de “bom dia”,  ainda gostamos de rosas, e não precisa de um buquê, basta uma rosa , uma flor do campo quando não há nenhuma data especial.



O Por do sol é o maior dos espetáculos, e a praia está ao alcance dos pés. A lua continua brilhando no céu, e a chuva na janela convida... A tempestade, a brisa, o vento, tudo na verdade é um convite...


As letras de música são claras, os poetas, os sons, tudo neste universo conspira para o amor, somos amantes por essência. Porque as pessoas travam , e constroem pontes invisíveis, simplesmente nos tornando  inacessíveis. Porque seguramos a mágoa, retemos o perdão, como se fossem botes salva vidas?

Num mundo cada vez mais cheio de pessoas,  cada vez mais  a fluoxetina sendo usada, e com consultórios de terapias, as mais loucas delas,  com agendas lotadas , me questiono sobre a simplicidade das coisas, do amor puro, do cuidar, da essência, que há em todos nós.



Entramos em neuroses: é meu cabelo, meu peso, minha roupa, não sou boa de cama, falo errado, romântica demais, independente demais, boa demais, romântica de menos, falo muito, tudo isso junto?

Mais batom, menos máscara para olhos, estrias, celulites, filhos?

Perguntas sobrando.
E eu ainda quero ter tempo de regar meu jardim, sair pra comprar flores, colocar a mão na terra para plantá-las, fazer um café quente, bolinhos de chuva na tarde de domingo, uma boca pra beijar, um colo pra oferecer,  um abraço que me aqueça.

Poderia escrever por horas... mas, acho que já deu, melhor parar.

2 comentários:

Neilda, Rioeduca - 8ª CRE disse...

O que seria este texto? Uma crônica? Sinto-me lendo uma colunna de revista e de uma boa revista! Seu texto não é um talento que se perde, pois nada tão profundo quando compartilhado é perdido! Você despe sua alma sem pudores! Uma virtude, certamente, invejada por muitos... não sei se é porque nos conhecemos a muito tempo, mas parece que dialogamos o tempo todo nas inferências que me peguei fazendo e não foi só uma vez... dá vontade de ser o Terapeuta, dá vontade de sentar no divã, dá vontade de sair correndo para o mundo e dizer: Eu sou mulher, não há nada de errado em desejar o príncipe e sonhar que ser feliz para sempre não é um conto só de fadas, pode ser o conto da minha vida... Simplesmente amei!

DANIEL SONIC disse...

É AMIGA...,POR QUÊ SERIA PROIBIDO PARA HOMENS? NÃO DIREI QUE FARIA DA MESMA FORMA QUE VC, E PROVAVELMENTE NAO ENCOTRARIA PALAVRAS TÃO HÁBEIS A DESCREVER AS LOUCURAS,VOLTAS E REVOLTAS QUE TECEMOS AO LONGO DA LIHA DO TEMPO DE NOSSA EXISTENCIA. O FATO É QUE QUANDO DESCOBRIMOS O QUE O MAIOR VALOR QUE QUEREMOS DEVE VIR DE NÓS MESMOS,ENCONTRAMOS O BRILHO QUE VEM ILUMINAR NOSSOS DIAS E TORNAS A NOSSAS ''NOITES COM SOL COMO DIRIA VENTURINNI. BOM TE VER ASSIM